02/11/2010

Junipero itoigawa shohin

Juntei a foto de cima e a de baixo para ver melhor a separação do primeiro ramo e da continuação do tronco!
A frente actual
A minha possivel frente com a vista do tachiagari
Lado Esquerdo

Lado direito

Traseira
Frente

Este pequeno junipero itoigawa veio parar ás minhas mãos através duma troca com o meu amigo Pedro Almeida.

É uma árvore boa com um nível de formação já avançado, mas infelizmente, em Fevereiro deste ano também sofreu com o temporal na Madeira e levou com um pedregulho enorme em cima, tendo perdido o ápice e dobrado alguns ramos de forma drástica, por isso, agora será alvo dum restyling para corrigir esses problemas.

Estive a limpar a madeira morta e a acabar alguns jin e de seguida apliquei o liquido de jin.

Agora resta escolher a frente e o melhor ângulo de inclinação! Eu estou tentado a mudar a frente para a antiga traseira ligeiramente rodada, pois acho que todo o movimento do conjunto fica melhor, além de conseguir um tachiagari mais dinámico a meu ver.

Deixo as fotos de todos os lados e das possíveis frentes.Opiniões?
Obrigado Pedro!

Mário Eusébio

2 comentários:

Rui Ferreira disse...

Olá Mário
É uma árvore com algumas características dificeis.
A antiga frente mostra na minha opinião demasiado a separação não muito bonita do ramo principal e da parte que forma o topo, no entanto vista de lado a árvore apresenta com esta antiga frente tri-dimensionalidade pois o tronco dirige-se primeiro ligeiramente para a traseira.
Que é precisamente o que falta na tua opção de nova frente, assim como outra vez um protagonismo indesejado (na minha opinião) da separação do ramo principal/topo.
Outro ponto que acho demasiado dominante nessa nova frente é a madeira morta que é demasiado grosseira e com falta de elegância ou interesse.

Deduzindo a partir das fotos (e isso demasiadas vezes dá uma impressão errada) penso que a minha frente escolhida seria o actual lado esquerdo da árvore.
Aí a árvore tem profundidade, uma base larga e estável, a separação dos ramos não é muito visivel, dobrando o ramo principal para a direita, as veias vivas são bem visiveis, e o movimento embora não tão marcado como na antiga frente ou na tua opção de frente tem ritmo e elegância.
Espero para ver o que dizes!

Mário Eusébio disse...

Viva Rui!

Muito obrigado pelas tuas opiniões!

Efectivamente é uma árvore algo complicada de "resolver"! Na antiga frente não gosto de todo do carácter paralelo das duas veias vivas e para juntar ao filme, cada uma das veias alimenta ramos quase da mesma grossura, o primeiro ramo que na primeira fase sobre uns centimetros e outro que funciona como continuação do tronco para o ápice. Acho que no conseguir disfarçar estes dois "defeitos" é que reside a solução para esta árvore!

Para agravar o problema, quer um quer o outro ramo que falo, pelo facto de terem levado com a pedra em cima, racharam, tendo ficado danificados e com partes de madeira morta, sobretudo na base, o que torna arriscada qualquer movimentação.

Não tinha pensado na frente que referes, sobretudo pela questão do primeiro ramo, que nesse caso sai mesmo de frente para o observador e que pelos motivos que já referi é dificil de deslocar! Mas uma solução intermédia entre o lado esquerdo e a traseira podem muito bem ser a solução, vou fazer alguns testes para ver como resulta essa frente!

Juntei mais uma foto onde dá para ver a tal questão dos ramos que referi!

Apesar destes "defeitos" eu gosto muito da árvore e acho que com as opções certas poderá ficar uma excelente árvore!

Obrigado pela ajuda!

Cmpts,

Mário Eusébio